30% dos colaboradores do turismo já foram demitidos pela pandemia

O setor do turismo foi um dos mais atingidos pela pandemia do coronavírus. Com mais de 90% dos seus hotéis fechados e o setor de bares e restaurantes também sem receita, o setor já amarga uma de suas piores crises da história. São dois meses sem qualquer movimento e as contas continuam a chegar. Empresários do setor questionam a atuação do governo no setor

Silvio Pessoa, presidente da Federação Baiana de Hospedagem e Alimentação, afirmou que 30% dos trabalhadores do setor já foram desligados pela pandemia. “Calculamos que 30% de nossos colaboradores em hotelaria foram desligados e mais de 40% em bares e restaurantes também perderam o emprego. Depois do agronegócio somos os maiores empregadores em nosso estado. Nossa projeção é que 50% dos bares e restaurantes estão tecnicamente falidos pois fazem dois meses que não tem receita e estão sem capital de giro impossibilitando o retorno a operação”, disse.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, (IBGE), as atividades de serviços ligadas ao turismo na Bahia recuaram fortemente em março. As quedas foram de 27,3% em relação a fevereiro, deste ano, e 27,6% na comparação com março do ano passado. Foram as maiores quedas das atividades turísticas no estado, em ambas as comparações, considerando-se todos os meses da série histórica da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE, que começou em 2012.

Em março, começaram as primeiras medidas restritivas para conter a pandemia do novo coronavírus. Ainda assim, o desempenho na Bahia ficou acima do verificado no país como um todo. Em março, o volume dos serviços turísticos no Brasil caiu 30% frente a fevereiro e recuou 28,2% frente a março de 2019.

Matéria produzida pelo portal Bahia Econômica

 

Imposto de Renda